Diários do Tempo – Página #01 Conversa com o Feiticeiro

Final de Semana do Loot em Dobro!
28 de julho de 2017
Diários do Tempo
Diários do Tempo – Página #42 A Morte, os Deuses e nada mais!
9 de outubro de 2017
Diários do Tempo




Saudações, viajantes! Hoje darei início a minha coluna contendo alguns escritos ambientados no universo Tibiano.
Meu maior objetivo ao escrever tais histórias é tentar imaginar como os personagens iriam reagir e interagir com o mundo ao seu redor (afinal, eles não sabem que são personagens de um MMORPG!).

Sendo assim, nesta coluna, assumo o papel de Chrono , um Cavaleiro que vive no mundo de Tibia. É a partir da ótica dele que contarei as histórias.

Além disso, normalmente escreverei a história conforme modelo dessa postagem, em letras maiores destacadas do texto principal, normalmente a introdução do próprio Chrono à história que ele irá narrar de seu diário ou algum comentário dele entre a narração da história e em letras pretas, a história em si.

Adicionalmente, também irei adicionar algumas tooltips onde vocês leitores, ao passarem o mouse sobre alguma palavra ou expressão sublinhada com pontinhos, poderão ver alguma imagem ou sprite para uma maior imersão no contexto ou também algumas palavras no original que criei liberdade em traduzí-las para o Português.

Sem mais delongas, boa leitura a todos!


 

As pessoas podem estranhar um Cavaleiro amante das palavras e das histórias, afinal muitos pensam que só sabemos lutar e lutar, mas para começar, irei contar-lhes uma sobre uma conversa que tive com meu Irmão Bhenthos há muito tempo atrás.


Alguns conhecidos sabem que eu sempre treinei muito para alcançar meus objetivos, e na época desse encontro, eu ainda era jovem e estava meio incerto do meu futuro e objetivo...

Chrono

 
 

Encontrava-me sentado em uma das formações rochosas próximas ao Colosso de Kazordoon, observando o belo pôr-do-sol que aquele local é capaz de oferecer. Meu Machado descansava apoiado ao meu lado após alguns dias de viagem, e enquanto isso, eu me perdia em devaneios, sonhos e ideias.

Quando a noite estava próxima de começar a reinar, escutei passos vindos em minha direção e permaneci estático, embora alerta e pronto para golpear qualquer atacante oportunista. Relatos diziam que aquela região não era perigosa, mas como dizia meu querido pai, “ser cauteloso é ser prudente”.

Com os passos já mais próximos, consegui identificar quem se aproximava, afinal ser furtivo não era uma das melhores competências dessa pessoa, assim, ela se aproximou e tocou no meu ombro esquerdo dizendo:

— Você sempre vem aqui quando está preocupado com algo, Chrono... – a frase ficou solta no ar.

Dei as costas ao pôr-do-sol que já se esvaía, e havia adivinhado corretamente, era meu Grande Irmão Feiticeiro , Bhenthos, seu andar fazendo barulho de frascos, poções e outros componentes mágicos e estranhos era inconfundível.

— Bhenthos! Que sua barba seja eterna como o passar dos tempos! – o cumprimentei com um forte abraço.

— E que seu machado nunca enferruje enquanto tiver forças para lutar, meu irmão! – ele respondeu em tom de brincadeira.

— Sente-se Bhenthos, você realmente tem razão... Estou preocupado com meu futuro, objetivos e sonhos. Não sei ao certo o que devo fazer.

— Não se preocupe tanto assim, Chrono. Você ainda é jovem e vejo um grande potencial dentro de ti, mas pode ter certeza que no momento certo você descobrirá.

Me levantei e segui em direção à ponta do penhasco o qual conseguia vislumbrar uma paisagem incrível.

— Sabe de uma coisa Irmão? Na verdade já sei os meus objetivos, só não sei como realiza-los ainda.

Bhenthos continuara sentado e criara uma pequena chama na sua mão direita.

— Não seja ansioso, jovem aprendiz dos Anões! – me respondeu sorrindo.

Curiosa era a sabedoria que Bhenthos emanava. De fato, não são todos Feiticeiros que buscam apenas a destruição e poder.

— Bhenthos, qual o seu objetivo? – perguntei, já esperando uma réplica mais contundente.

— Meus objetivos? Ah sim... Desejo fortemente derrotar o meu maior Rival, Ferumbras , um Feiticeiro antigo e de grande poder, mas para tal façanha, tenho certeza que irei precisar de vários amigos lendários, uma verdadeira Legião das Trevas, como eu gosto de chamar, além é claro da nossa Família. Mas e você? Qual é o seu objetivo?

Assustei-me com a pergunta, havia sido muito mais contundente do que esperava.

— Bem... Eu... Meu objetivo é me tornar um grande Cavaleiro e ser não apenas conhecido por minhas habilidades de combate, mas pelas minhas outras virtudes também! Confiança, lealdade e amizade, por exemplo, irmão!

Bhenthos então se levantara e aproximara de mim, e olhando no fundo dos meus olhos, com aquele olhar perspicaz que só Feiticeiros sabem fazer e me disse:

— Então busque isso com toda sua força de vontade! Ah! E a propósito, por que não começa a registrar histórias, casos, aventuras e coisas do tipo? Talvez você encontre algo mais do que simples palavras no pergaminho...

A noite havia chegado e as estrelas em conjunto com a Lua faziam um belo espetáculo de luzes, suaves e serenas, ao local que estávamos.

— Já preciso ir, estou a caminho de Ab’Dendriel resolver assuntos de natureza mágica, você não entenderia muito. – Bhenthos respondeu já pegando seu cajado que havia encostado próximo ao machado.

— Sem problemas Irmão! Muito obrigado por suas palavras!

— Não há de quê, Chrono.

Então, Bhenthos saíra caminhando e logo desapareceu novamente na escuridão das montanhas de Kazordoon. Eu continuei por lá por mais algum tempo, refletindo sobre tudo o que ouvi naquela noite.

— Um registro? Um diário? Isso! Escreverei sobre coisas desse mundo e deixarei registrado para que todos que se interessem possam ler, é algo perfeito para se combinar em conjunto com os treinos com a arma, afinal “uma mente sã precisa acompanhar um corpo são para eficácia máxima em combate”, mas quem disse isso mesmo? — me peguei pensando e devaneando novamente.

Após aquela noite comecei a buscar meu objetivo de ser um Cavaleiro exímio na arte do Machado, com toda força de vontade que eu possuía, mas obviamente surgiram muitos obstáculos, e foram entre encontros e desencontros, rolos e acasos, viagens e aventuras, no entanto, que alcancei muito do que desejei sem nunca perder de vista as palavras trocadas com aquele Feiticeiro.

 

Espero que tenham gostado!

Qualquer dúvida, sugestão, comentários, entrem em contato conosco!

ARTIBIA

Diários do Tempo

Ville
Ville

Um escritor, Poeta, Engenheiro, gamer, nerd, geek, entre outros rótulos.
Ou não.
Apenas um observador, no fim das contas.

Fórum