Diários do Tempo – Página #85 Chrono no Templo dos Leões

Diários do Tempo
Diários do Tempo – Página #93 Viúva e Talha-Pedra
16 de Janeiro de 2018
Diários do Tempo

Saudações viajantes!

Cá estou novamente trazendo algumas páginas dos Diários do Chrono para vocês.

É a primeira vez que está aqui? Não se preocupe, as outras páginas dessa coluna podem ser encontradas AQUI.

Essa semana trago uma história de aventura, mistério, locais estranhos e profanados, vamos acompanhar?

 
Pedra do Rei próxima a Darashia

É aqui que antigamente um Antigo Rei Leão era venerado...


 

A história de hoje é uma aventura que fiz nos quentes desertos de Darashia, um local antigo e tomado por forças malignas, com a cara e coragem decidi ir sozinho nas profundezas de um antigo templo...


Chrono Azkan Silt

 
 

- Por Banor! Não lembrava de Darashia ser tão quente assim!

Após realizar algumas tarefas que envolvia matar vários Ancient ScarabEscaravelhos Antigos nos desertos nos arredores de Ankrahmun, decidi passar uns dias na cidade de Darashia, afinal, há muitos anos eu não aproveitava as benesses que essa cidade poderia me oferecer.

Enquanto me refrescava bebendo alguma coisa na Taverna, escuto alguns outros aventureiros comentando sobre um Antigo Templo de um Deus Leão, hoje em ruínas e aparentemente conspurcado por forças obscuras e malignas. As pessoas também comentaram algo sobre o acesso ao templo estar protegido por uma barreira mágica poderosa, onde poucos exploradores conseguiram atravessar e menos ainda voltaram com vida do interior do Santuário.

Terminei minha bebida e fui dormir intrigado com a história, disposto na manhã seguinte visitar tal local para tentar descobrir os segredos daquele local.

 
 
Taverna Medieval Deserto

Uma Taverna para refrescar do calor do Deserto...

 
 

Ao amanhecer, com um sol intenso, radiante e forte, segui a direção noroeste da cidade, o vento estava incômodo, fazendo com que a sensação de calor piorasse com tamanha ventania, tanto é que tive de cobrir meu rosto para evitar a areia que voava em minha direção.

Na entrada da montanha não avistei nada de anormal, apenas os ScarabEscaravelhos ,LarvaLarvas e ScorpionEscorpiões , segui até encontrar uma escada em pedra para o subsolo, munido de uma luz pálida e fraca de uma Silver Fafnar Trophyestatueta de Fafnar que carrego comigo.

No entanto, logo ao descer, sinto o cheiro de morte e podridão que infestava o lugar e sem cerimônia, GhoulGhouls já vinham me atacar, me livrei deles sem problemas, mas uma criatura diferente tentou me golpear pelas costas e quase conseguiu me machucar seriamente, parecia uma formiga gigante...não, um cupim gigante, um TerramiteTerramite .

Segui com cautela, não sabia o que mais de diferente poderia encontrar por ali, tomando a direção norte, enquanto olhava preocupadamente para os lados, procurando escutar barulhos estranhos, tropeço num esqueleto humano e de sua já desgastada mochila encontro um Old Parchmentvelho pergaminho , apanho-o e procuro um local menos perigoso para lê-lo.

Com o pergaminho lido, descobri que para acessar o santuário interno dos leões eu precisava passar por três testes, para provar meu merecimento e meu respeito pela causa dos Leões, eram testes para venerar a Força dos Leões, a Beleza deles e também honrar suas Lágrimas. Aparentemente, realizando essas três tarefas, a magia protetora do santuário se dissiparia e o acesso a área em questão seria liberado.

Lógico que enquanto lia o pergaminho fui incomodado por mais Ghouls, Escaravelhos, BonebeastFeraosso (o que me surpreendeu muito) e até mesmo um Crypt ShamblerRastejante da Cripta , todas criaturas tombaram perante ao meu Stonecutter AxeMachado Talha-Pedra .

 
 

Três testes, três provas para provar meu merecimento, hei de estar preparado?.

Chrono Azkan Silt

 
 

Seguindo a ordem dos testes que estava escrita no pergaminho carcomido, o primeiro teste foi o da Força, o qual pedia para que eu sacrificasse uma Cobra Tonguelíngua de Cobra perante uma estátua de uma criatura meio humana, meio leão. A tarefa foi simples, encontrei depois de andar mais alguns instantes algumas CobraCobras pelo templo abandonado e extrair a língua delas não foi uma tarefa muito difícil, além disso encontrei uma estátua semelhante ao descrito no pergaminho à noroeste da caverna e fiz o que era necessário.

Na sequência o pergaminho falava sobre o teste da Beleza, dizendo que era necessário queimar algo belo em homenagem aos Leões em uma determinada Pira que se encontrava no extremo sul da caverna, no entanto, devido à fraca iluminação e ao estado do pergaminho não entendi o que exatamente era o sacrifício, estava escrito algo como “juba de leão”, achei estranho e decidi tentar falar com alguém que soubesse melhor a respeito.

Consegui contato com a Nina, uma pessoa maravilhosa, uma Druida que entende bastante de coisas belas e naturais, e depois de um tempo de conversa ela me explica que existe uma flor chamada Lion's Mane FlowerJuba de Leão , e que essas mesmas flores são encontradas próximas a uma formação rochosa perto de Darashia! Agradeci-a de imediato e voltei a superfície para procurar por essa flor e subindo alguns patamares dessa montanha encontro algumas flores as quais sua aparência combinavam com a descrição oferecida pela Nina. Colhi uma das flores e segui em direção à Pira no extremo Sul da Caverna, com mais Ghouls, Terramites, Escaravelhos e dessa vez até algumas MummyMúmias me atacando e conforme eu aprofundava mais nesse local mais a luz que carregava se mostrava insuficiente e decidi murmurar algumas palavras mágicas para criar uma luz mais intensa para enxergar melhor e não correr riscos. Queimei a flor em sacrifício e voltei a ler o pergaminho para saber o que deveria ser realizado no terceiro e último teste.

As Lágrimas dos leões, honrar seu sofrimento e luta, esse era o teste, e falava algo sobre coletar a água de uma fonte sagrada no topo da montanha em que eu me encontrava e purificar um certo pedestal de pedra no norte da caverna, deu certo trabalho subir toda a montanha para coletar essa água, e na volta mais criaturas da caverna me atacaram e pareciam que seu número cada vez aumentava me fazendo sentir o peso do cansaço, mas não desisti e alcancei o tal pedestal citado no pergaminho e o molhei em veneração aos Leões.

 
 

Feito isso, um estrondo atingiu toda a caverna e uma onda de energia mágica pareceu percorrer os corredores, aparentemente o acesso ao santuário interno havia sido liberado e eu poderia passar, e conforme o pergaminho dizia, as coisas estavam prestes a ficarem mais árduas...

Chrono Azkan Silt

 
 

Dentro do Santuário Interno o cheiro de morte e podridão já não estava tão forte, desci uma escada e comecei a caminhar, não escutei muitos barulhos que pudessem me chamar alguma atenção, continuei caminhando e quando adentrei uma câmara de tamanho considerável uma dupla de Escaravelhos Antigos tentou me atacar de surpresa, e a luta foi pesada, trabalhosa e um pouco arriscada, por sorte ter matado vários deles anteriormente me ensinara como lutar de forma mais eficaz contra essas criaturas, único problema foi que ao defender com meu Escudo um dos ataques, fui empurrado para trás e quebrei uma ânfora, qual foi minha surpresa ao descobrir um pergaminho escondido dentro dela!

Após terminar de matar aqueles bichos amedrontadores, fui tentar entender algo do pergaminho, aparentemente continha figuras, ilustrações e desenhos diversos, aparentemente com função de traduzir alguns dos hieróglifos e escritos presentes nesse local.

O pergaminho falava também sobre quatro deuses estranhos e uma forma de obter tesouros do Poderoso Leão, e iniciei minha exploração do Santuário Interno, enfrentei vários Escaravelhos Anciões enquanto perambulava pelos corredores sinistros do local, quando encontro uma composição no chão que era similar a um desenho do pergaminho.

“E o Poderoso Leão derrotou a invejosa Cobra. Como prova de sua vitória ele tomou para si seu olho, amarelo de inveja e malevolência, e de uma criatura suja ele criou um precioso tesouro.”

Próximo a uma escada encontro outra inscrição, no entanto três Escaravelhos Antigos me atacaram violentamente e quase perco o pergaminho nessa ferrenha batalha, o calor que fazia lá dentro unido com o cansaço das batalhas já começa a turvar minha visão. Consegui respirar fundo e entender a inscrição.

“E o Poderoso Leão derrotou o preguiçoso Lagarto. Como prova de sua vitória ele tomou para si seu ovo, azul como a preguiça e presunção, e de uma criatura suja ele criou um precioso tesouro.”

Comecei a notar um certo padrão nas inscrições, continuei a caminhar quando me deparo com um Roaring LionLeão Feroz , enorme, com presas gigantes, ele me atacou sem cerimônia, suas mordidas doeram bastante, mas com esforço, derrotei-o. Mais alguns passos à frente quatro desses mesmos leões velozmente vieram em minha direção para me atacar, vi a morte de perto nesse momento, nunca pensei que a mordida de um leão doeria tanto, mas perseverei e consegui derrotar todos. Notei que alguns deles ao serem derrotados deixavam algumas gemas preciosas, como Small Amethystamestistas , Small Sapphiresafiras , Small Rubyrubis e Small Topaztopázios , coletei as que haviam aparecido e segui meu caminho.

Numa câmara bem a oeste encontrei um túmulo, um altar, não sei exatamente o que era, com um símbolo de escorpião estampado e as inscrições diziam algo similar aos outros dois sinais que encontrei.

“E o Poderoso Leão derrotou o traiçoeiro Escorpião. Como prova de sua vitória ele tomou para si seu veneno, violeta como a enganação e traição, e então criou um precioso tesouro.”

Próximo dali, passando por mais Leões Ferozes e Escaravelhos Antigos encontrei o que parecia ser a última inscrição para ser traduzida.

“E o Poderoso Leão derrotou a gananciosa Hiena. Como prova de sua vitória ele tomou para si seu sangue, vermelho como ferocidade e luxúria, e então criou um precioso tesouro.”

Parei um momento para refletir, e unindo as inscrições, com as gemas que encontrei, além de algumas vagas instruções do pergaminho, segui rumo a um local onde estava marcado que era o local onde o Deus Leão guardava seus tesouros, no entanto, em um dos corredores de acesso a outra área do local fui emboscado por 4 Escaravelhos Antigos os quais me fizeram tirar energias do fundo de minh’alma para poder derrota-los, depois da luta ainda fiquei pensando o que seria pior, morrer para os Escaravelhos ou para os Leões desse local.

Mais Leões Ferozes no caminho e dentro dessa câmara para a qual eu rumava, chegando lá noto pisos de padrão diferente dos demais, aparentemente o pergaminho dizia para posicionar as gemas de cores determinadas em determinadas posições, fiz o que era instruído e após posicionar a última delas, uma fonte de água límpida, pura, refrescante surge no centro da câmara, bebo um pouco daquela água e noto também um pequeno altar com um item, para minha grata surpresa era um Amuleto conhecido como The Lion's HeartCoração do Leão ! Um item conhecido por ser capaz de domar um Noble LionNobre Leão !

Mas a questão agora era, onde encontrar tal criatura?

 
 

Esses Leões há eras já não eram encontrados nos desertos, acredita-se na verdade que sejam criaturas místicas, protetoras de santuários, no entanto o pergaminho continha uma informação adicional...

Chrono Azkan Silt

 
 

Procurei no pergaminho e no final dele algumas palavras vagas como "oculta", "escada", "nobre", comecei a explorar os arredores e encontrei uma escada escondida nas sombras que as rochas faziam e decidi descer, o amuleto parecia me guiar para aquela direção, e quando meus olhos se acostumam com a forte iluminação desse local, vários leões vêm em minha direção e um deles mais altivo, mais nobre, de pelos dourados e olhos esmeralda, era o Leão que eu procurava!

No entanto, Leões Ferozes ainda me atrapalhavam na missão de conquistar a confiança do Nobre Leão, derrotei-os e quando finalmente fiquei cara-a-cara com o Nobre, mostrei-o o Amuleto, ele foi relutante no início, afinal não é sempre que humanos aparecem mostrando esse Amuleto a eles, mas depois de muita insistência e demonstração de vontade, força e confiança, consegui fazer com que ele me acompanhasse como minha Montaria!

Meus recursos já estavam ficando escassos, minha visão já começava a ficar turva, segui o mais rápido que pude, mais Leões Ferozes e Escaravelhos Antigos tentavam me impedir de sair daquele local e me tornar parte do tesouro do Santuário, meus golpes já não estavam tão bons, mas os matei, consegui sair daquele local, passei ainda por alguns daqueles mortos-vivos que enfrentei anteriormente além dos Terramites também.

Cheguei à superfície, o Sol já se punha, e ao longe algumas luzes de Darashia já se acendiam, o calor abrandava, e foi assim que conquistei um novo amigo nas minhas jornadas e sobrevivi aos perigosos e traiçoeiros locais que o deserto tem a oferecer...

 
 
Chrono e seu Noble Lion

Diretamente de Darashia! Chrono e seu Noble Lion!

 

E assim, chega ao fim uma aventura do Chrono, mas muitas outras aventuras virão!

Qualquer dúvida, sugestão, comentários, entrem em contato conosco, seja no Fórum (link abaixo) ou na nossa Página no Facebook

Foi muito gostoso escrever uma história fortemente baseada numa Quest do jogo, é deveras divertido imaginar coisas além do que os olhos veem enquanto jogamos.

Abraços do Ville!

ARTIBIA

Diários do Tempo

Ville
Ville
Um escritor, Poeta, Engenheiro, gamer, nerd, geek, entre outros rótulos. Ou não. Apenas um observador, no fim das contas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *